A Peste de Albert Camus – Ciclo de Leituras Baukurs 2017

“A Peste não é um romance, mas uma crônica – ao menos ela se chamava assim de início. Isso quer dizer que todos os temas habituais do romance – o homem, o amor ou o sofrimento – são vistos aqui através da transparência e do distanciamento de uma história coletiva, acompanhada dia a dia sem jamais se deixar penetrar por uma significação propriamente histórica. A meio caminho entre a História e o Romance, A Peste poderia ainda ter sido uma tragédia. Logo veremos que preferiu ser o ato de fundação de uma Moral.”

Roland Barthes, Resenha do livro A Peste.

O Ciclo de Leituras Baukurs 2017 inicia suas atividades com o livro que é a obra máxima de Albert Camus. A Peste é um clássico. Um daqueles livros que é mais comentado do que lido. Na web há plenitude de material sobre o título. Desde comentários, análises do texto, críticas, estudos comparativos entre traduções e até paralelos com o atual contexto político brasileiro.

O texto é uma alegoria sobre a condição humana tratando de temas como solidariedade, solidão e morte. Nele a cidade argelina de Oran é invadida por uma grande quantidade de ratos. Seus moradores começam então a adoecer da peste bubônica transmitida pelas pulgas que infestam os ratos.

O texto a ser utilizado em nosso evento foi adaptado a partir da tradução de Valerie Rumjanek. Esta edição é encontrada com facilidade em livrarias como Estante Virtual, Livraria Cultura ou Saraiva. A adaptação e leitura são do ator Pedro Osório.
Há até uma edição de origem portuguesa disponível para download gratuito porém não está especificada a autoria da tradução.
 

Cinema

Adaptado para o cinema em 1992 pelo diretor argentino Luis Puenzo, o texto foi interpretado por um elenco que contou com William Hurt, Sandrine Bonnaire, Robert Duval e Raul Julia.
Há uma cópia (de baixa qualidade) disponível no YouTube.

 

Sobre o autor

Albert Camus (1913-1960), nasceu em 1913, em Mondovi, na Argélia, hoje conhecida como Dréan, então colônia francesa. Formou-se em filosofia na Universidade da Argélia, em 1935 e fundou o “Teatro do Trabalho”. Foi membro do Partido Comunista Francês e escreveu em jornais socialistas. Em 1939 mudou-se para a França. Lá casou-se com Francine Faure e colaborou para a publicação Paris-Soir. Em 1942 publicou dois de seus livros mais importantes, O Estrangeiro e O Mito de Sísifo. Segundo muitos críticos, a ideia do absurdo da existência humana, formulada nestas obras, foi a maior contribuição de Camus para a filosofia. Engajou-se na Segunda Guerra Mundial como editor do jornal clandestino Combat. Em 1947 publicou A Peste, romance traduzido para o português pelo escritor Graciliano Ramos. Entre 1949 e 1951, Camus viveu recluso, enfraquecido por causa da tuberculose, doença que contraíra em 1930. Publicou ainda O Homem Revoltado (1951), obra que provocou sua ruptura com Sartre. Um dos escritores mais lidos do século XX, Albert Camus recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1957. Morreu em 1960, vítima de um acidente de carro.
 

Direção geral
Thea Schünemann Miranda
Curadoria e Coordenação
Antonio Gilberto

 

 

Serviço

14 de agosto de 2017 a 14 de agosto de 2017
Baukurs Botafogo
Rua Goethe, 15
Botafogo
Tel: +55 21 2294-6017
Clique para ver o mapa

O evento não é recomendado para menores de 12 anos.

Entrada franca mediante distribuição de senhas 30 min antes do início de cada leitura.

Outras atividades // Veja toda a programação